Taxas de juros – Entenda este mistério

Taxas de juros seriam uma remuneração ou compensação que é paga para quem empresta um valor por determinado tempo.

Anúncios

No caso das instituições financeiras, note que as taxas cobrem o risco de inadimplência, servindo de incentivo para empréstimos.

Aqui não falamos somente dos créditos pessoal ou consignado, bem como dos limites de cartão.

Dessa forma, podemos definir os juros como a diferença entre o valor emprestado e o valor devolvido. Entenda mais a seguir:

O que são as taxas de juros?

Vamos supor que um cliente teve de lidar com um imprevisto e solicitou um empréstimo no valor de R $5 mil para ser pago em 12 meses.

Ao final do contrato, o valor pago foi de R $5.800.

Anúncios

Assim, as taxas foram de 16% ao ano, correspondendo a R $800.

Portanto, vale ressaltar que cada instituição financeira conta com as suas políticas, fazendo com que haja variação nas taxas aplicadas em cada uma delas.

E além das dívidas, as taxas incidem sobre as aplicações ou investimentos.

Quais são as taxas de juros no Brasil?

Quando falamos sobre os juros, é importante que você entenda que há diferentes tipos:

Juros simples

Com base no valor inicial da operação financeira, é definido este tipo de taxa que se mantém constante durante o contrato.

Sendo assim, é calculada sobre o capital ou montante inicial da dívida ou investimento.

Este tipo de juros é importante porque geralmente é utilizado no nosso cotidiano, seja na contratação de um empréstimo ou em um simples parcelamento.

Taxas de Juros compostos

Quando comparada aos juros simples, este tipo de taxa aumenta mais rápido porque há algo acrescido ao capital.

Tendo também o nome de “juros sobre juros”, a soma não é feita somente com o montante inicial, como também com os juros dos meses anteriores.

Por exemplo, um cliente solicita um crédito no valor de R $20 mil, sendo que a taxa mensal é de 1%.

Assim, haveria o seguinte cenário:

No primeiro mês o valor aumentaria em R $200 (1% de R $20 mil) e no próximo mês, R $202, que corresponde a 1% de R$20.200.

Geralmente este tipo de taxa é vista como boa na aplicação porque o montante aumenta em um bom ritmo.

Juros nominais

As taxas de juros nominais levam este nome porque é o valor informado em uma operação financeira.

Por exemplo, um cliente que faz um financiamento imobiliário com uma taxa nominal de 3% ao mês ou faz um investimento em títulos do Tesouro Direto e o rendimento declarado para a aplicação é de 5% ao ano.

Também indica o montante bruto que o banco obtém ao negociar o crédito.

Juros reais

Ao mesmo tempo em que os juros nominais representam o montante bruto, os juros reais têm um retorno líquido.

Dessa forma, é levado em conta os efeitos e correções na inflação, sendo que o que era consumido há 2 anos não tem o mesmo preço hoje.

Ou seja, esta taxa representa o rendimento do dinheiro na prática.

É fundamental para entender quanto um banco deve cobrar para oferecer crédito ou hipoteca, além de indicar a rentabilidade que um investimento pode oferecer.

Taxas de juros de mora

Esta taxa serve para compensar o atraso no pagamento de uma conta ou parcela.

Por isso, é a única cobrada sobre o valor em aberto e que pode crescer conforme o atraso.

Em outras palavras, quanto mais o cliente demorar para pagar a parcela ou a conta em atraso, maiores serão os juros.

O cálculo é feito sobre o valor da parcela e o tempo que está em atraso.

Porém, vale destacar que o Código Civil e o Código Tributário Nacional estabeleceram o limite de até 1% ao mês para a taxa.

Juros rotativos

As taxas de juros rotativos do cartão são uma alternativa de crédito para o cliente que não consegue pagar o valor integral da sua fatura.

Nesse sentido, quando o cliente paga somente o valor mínimo da fatura, o restante vai para a fatura seguinte, juntamente com os juros rotativos.

Vale evidenciar que esta é uma das taxas mais caras do mercado, que pode ser entendida com mais detalhes neste conteúdo.

Taxas de juros sobre capital próprio

Dependendo da performance do investimento, este tipo de taxa pode garantir uma remuneração extra.

Por isso, estes juros referem-se àqueles que podem ser obtidos por empresas que estão sob o regime de lucro real.

Além disso, as empresas que os utilizam podem aplicá-los como um artifício contábil, a fim de pagar menos impostos.

O que é a Selic e como funciona? 

Também é importante que você conheça a taxa básica de juros do Brasil.

Todos os países contam com os seus juros básicos, sendo que são definidos pela autoridade monetária nacional (Banco Central).

À vista disso, a Selic norteia todas as operações da economia do Brasil que envolvem taxas como os financiamentos, aplicações financeiras e os empréstimos.

Inclusive, este tipo de taxas de juros influencia de forma direta os retornos em vários tipos de investimento de renda fixa, seja os títulos públicos ou privados.

Como resultado, quando esta taxa aumenta ou diminui, todas as outras que foram mencionadas acima sofrem com alterações.

Atualmente, a taxa Selic é de 10,75%, sendo que foi determinada na última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom).

É melhor taxa fixa ou variável? 

Quando a taxa fixa é aplicada em um contrato, o cliente sabe o valor exato dos juros que serão aplicados.

Nesse sentido, não há nenhuma surpresa, seja ela positiva ou negativa, porque é possível prever tudo.

No caso das aplicações financeiras, por exemplo, as taxas são pré-fixadas porque dá para saber com precisão a rentabilidade.

Isso faz com que as mudanças na economia e no mercado não influenciem durante o contrato.

É uma alternativa de taxas de juros interessante para os que não gostariam de correr riscos.

No entanto, é fundamental ter atenção ao que acontece no nosso país e no exterior porque se a inflação subir, o valor aplicado em taxa fixa pode valer menos no momento do resgate.

Por outro lado, devemos falar sobre a taxa variável, em  que os juros podem sofrer alterações ao decorrer do contrato.

Sendo assim, é praticamente impossível prever as taxas, inclusive, se os resultados serão bons ou ruins.

Para exemplificar, um Título de Tesouro pós-fixado vinculado à taxa Selic pode ter uma rentabilidade menor caso a Selic caia.

Como as taxas de juros influenciam o seu bolso?

Note que as taxas estão presentes em atividades do nosso cotidiano, por mais que em alguns casos, sejam imperceptíveis.

Caso você não tenha um conhecimento básico acerca delas, há um grande risco.

Por exemplo, um cliente que não sabe sobre os juros do cheque especial, pode contar com este “valor extra” todos os meses, causando um grande descontrole em suas finanças.

Além disso, também é importante entender que nem sempre as taxas estão relacionadas a algo ruim porque elas podem determinar uma rentabilidade maior em certas aplicações.

Sendo assim, indicamos que você busque por mais informações sobre as taxas em serviços que você geralmente contrata em instituições financeiras.

Escrito por Luciana Sampaio

Entusiasta de novas tecnologias e da escrita, encontrou no Jornal útil a oportunidade de escrever sobre temas do seu interesse que englobam o mercado financeiro.