Empréstimo peer to peer: como funciona?

O empréstimo peer to peer é uma modalidade de crédito nova que surgiu em 2018, após regulação pelo Banco Central (BC). No entanto, foi desenvolvida na Inglaterra, chegou até a Europa e os EUA e se tornou um tremendo sucesso.

Anúncios

Isso se deu pela enorme diferença entre os valores enormes,  quando se compara o que uma instituição financeira, um banco tradicional ou uma fintech, paga pelo seu dinheiro e cobra de juros. O popular spread bancário.

Contudo, recentemente no Brasil e ainda pouco conhecido, o empréstimo P2P é uma opção muito interessante para quem precisa de crédito e, para alguém que quer uma boa rentabilidade em um investimento.

Portanto, para saber mais sobre essa modalidade recentemente aprovada nas terras brasileiras, continue sua leitura.


O que empréstimo peer to peer?

Antes de tudo, é muito importante entender ou, em alguns casos, descobrir o que significa e, o que é, um empréstimo peer to peer.

Portanto, do início, o empréstimo peer to peer, ou empréstimo P2P é uma modalidade de crédito feita sem o intermédio de uma instituição financeira, seja um banco ou uma fintech.

Anúncios

Essa modalidade de empréstimo tem como conceito uma empresa buscar um empréstimo com uma pessoa jurídica ou física. No entanto, para aqueles que oferecem o valor, a rentabilidade é superior a outras, como a da poupança.

Contudo, se você é uma pessoa física ou jurídica e está precisando de um empréstimo, pode recorrer a modalidade P2P. Ao optar por esse caminho, você vai encontrar taxas inferiores às taxas bancárias tradicionais.


Como funciona o empréstimo peer to peer?

Agora que você sabe o que é, talvez esteja se questionando como isso pode funcionar, certo? É um processo complicado que até ‘ontem’ apenas grandes empresas estavam fazendo,  portanto, como é possível funcionar desse jeito?

Sua dúvida não é boba, muito menos trivial, ela é real e é muito importante entender o processo. No entanto, ele é bem simples o que torna tudo ainda mais interessante.

Uma vez que os empréstimos não precisam do intermédio de uma instituição financeira, ou seja, nada de bancos ou fintechs, a modalidade usa sites que conectam quem está precisando de dinheiro com pessoas que podem emprestá-lo ou, ao contrário.

Portanto, há necessidade de dois sujeitos para um empréstimo peer to peer:

  • Emprestador: é a pessoa que vai oferecer o empréstimo e, assim, receber os rendimentos enquanto ele é pago;
  • Tomador: é a pessoa que está em busca de um empréstimo e paga, mensalmente, os valores referentes a esse empréstimo.

No entanto, há algumas semelhanças entre a modalidade e os empréstimos tradicionais. Por exemplo, o risco de inadimplência é levado em consideração junto a uma análise de crédito mediante ao score do tomador.

Isso quer dizer que se o seu perfil for considerado de risco, os juros serão maiores para cobrir possíveis danos ao emprestador. Contudo, você, como investidor, poderá escolher a margem de risco que deseja e nunca exceder ela.

Há, também, algumas diferenças entre a modalidade e os empréstimos tradicionais. Por exemplo:

  • O emprestador é visto como um investidor;
  • Existem apenas plataformas digitais para todos os processos;
  • O investidor (emprestador) não precisa conhecer ou ter relação com a pessoa que vai receber o empréstimo;
  • É considerado um investimento de risco pois não conta no Fundo Garantidor de Crédito (FGC);
  • Você, como investidor, poderá avaliar seus prospectos para fazer o empréstimo, ou não.

Vantagens e desvantagens do empréstimo entre pessoas

Vantagens e desvantagens todos os produtos e serviços possuem. Contudo, geralmente elas variam de contexto para contexto e de momento para momento. Portanto, você pode aproveitar das vantagens enquanto o contexto e o momento forem favoráveis a você.

Um ponto importante, por exemplo, é que as taxas de juros são inferiores às aplicadas pelas instituições financeiras quando você faz uso do empréstimo peer to peer. 

No entanto, para você que é o tomador do empréstimo, ou seja, a pessoa que busca o dinheiro, é interessante e necessário informar quais são as intenções do uso do crédito. Isso ocorre para o investidor avaliar qual será o uso do valor repassado para o tomador.

Portanto, se você é o investidor, tem uma tremenda vantagem ao poder decidir, baseado no destino do crédito, o que fará. Para você investidor, o rendimento é superior ao da poupança, portanto, já torna seu dinheiro investido uma vantagem por si só.

Além disso, tudo acontece online, portanto você terá  controle de tudo o que está acontecendo ao alcance dos seus dedos, em qualquer lugar, a qualquer hora.

Entretanto, há alguns ‘pormenores’ que podem e devem ser considerados; para  o empreendedor, caso seu perfil de crédito seja ‘arriscado’ os juros serão altos e, agora, para ambos, há uma taxa, relativamente alta, cobrada pela plataforma durante as transações.


Qual a melhor P2P?

Depois de todas essas informações, sua dúvida agora deve pairar sobre as empresas, isto é, as plataformas que oferecem esse tipo de serviço.

Existem várias, contudo, as melhores ou, mais conhecidas são:

  • Tutu Digital
  • IOUU
  • Kavod Lending
  • Nexoos

Contudo, não veja essa lista como uma recomendação, são apenas opções que no momento, estão se destacando mais no mercado. No entanto, esse artigo é  um recorte temporal e, esse cenário pode mudar e outras empresas assumirem esses lugares.


Conclusão

Em resumo, os empréstimos peer to peer são uma opção muito viável para você que quer empreender e para você que quer investir. Ou seja, como tomador de um empréstimo  ou como um emprestador.

Contudo, apesar de muitas vantagens, ainda existem algumas desvantagens que devem ser levadas em consideração. No entanto, a principal desvantagem para o empreendedor é o risco de se criar uma dívida, portanto sempre tome cuidado.


Escrito por Rodrigo Carvalho

Publicitário e Redator que gosta de escrever sobre tudo.