Consolidação de dívidas – Entenda o que é e suas vantagens 

A consolidação de dívidas é uma estratégia financeira que tem o objetivo de reunir todas as suas contas em uma única dívida.

Anúncios

Como resultado, o cliente obtém diversos tipos de benefícios, incluindo as melhores condições.

Portanto, caso tenha dúvidas sobre o que significa unificar dívida, prossiga a leitura e entenda detalhes.

O que é empréstimo de consolidação?

“reunir todas as contas em uma única dívida”.

Na verdade, a nossa introdução definiu muito bem o tema, mas deixei-nos lhe oferecer mais informações:

Vamos supor que um cliente teve de lidar com um imprevisto e entrou nos rotativos dos cartões de crédito Trigg e o Nubank.

Anúncios

Mas, o rotativo não foi suficiente e assim, ele entrou no cheque especial.

Rotativo do cartão e cheque especial são os serviços com maiores taxas de juros, sendo que no mês seguinte, o cliente acabou se afundando em mais dívidas porque decidiu solicitar um empréstimo pessoal e não foi o suficiente para cobrir os valores.

Neste caso, a consolidação de dívidas foi uma das melhores soluções encontradas.

Ele entrou em contato com uma instituição financeira de sua preferência e informou que gostaria de fazer a consolidação.

Dessa forma, verificou as condições e ao concordar, enviou os dados e documentos necessários para a contratação.

Note que funciona como uma espécie de empréstimo, pois a instituição financeira emprestou o dinheiro para que todas as dívidas fossem pagas.

Como resultado, este cliente precisou lidar somente com uma dívida: o crédito consolidado.

A consolidação de dívidas vale a pena?

Com relação aos benefícios, será que de fato há melhores condições com a consolidação?

Bom, os juros do rotativo do cartão são de 15% ao mês.

Além disso, o cheque especial tem a taxa máxima de 8% ao mês, conforme o Banco Central.

Por fim, a taxa média do empréstimo pessoal é de 6,49% ao mês.

E quando comparamos todos os juros acima com a taxa aplicada na consolidação de dívidas, podemos notar a vantagem:

As principais instituições que trabalham com este tipo de serviço têm taxas entre 0,99% e 1,19% ao mês.

Sendo assim, a economia é uma vantagem real, pois ao pagar taxas menores, as parcelas têm um valor inferior.

Outro benefício interessante seria o tempo.

Rotativo e cheque especial são dívidas perigosas porque elas devem ser pagas no próximo mês. Através da consolidação, você tem mais tempo para cumprir com seus compromissos financeiros!

No entanto, quando falamos acerca das desvantagens da consolidação de dívidas, é possível que você some todos os débitos, entre em contato com o banco e não tenha nenhum desconto com a unificação.

Isso ocorre por diversos quesitos como, por exemplo:

Tendo em vista a taxa inferior e para se organizar financeiramente, você optou por parcelas a perder de vista.

Assim, é possível que a dívida unificada fique no mesmo valor da soma de todas que estão sendo pagas atualmente, tornando-a não vantajosa.

Outro caso em que a consolidação não é interessante seria quando o cliente tem empréstimos prestes a serem quitados.

Faltam poucas parcelas para encerrar os pagamentos, por isso, consolidar somente fará com que a dívida seja prolongada.

Nesse sentido, tenha em mente que é necessário avaliar todos os pontos para definir se a alternativa é boa em seu caso.

Dúvidas sobre a consolidação de dívidas

É necessário solicitar o crédito consolidado no mesmo banco em que tenho dívidas ou conta corrente?

Não, você tem toda a liberdade para buscar pela instituição que lhe oferece as melhores condições e solicitar nela.

Porém, lembre-se de que em alguns casos é necessário ser correntista do banco para conferir este tipo de serviço.

Logo, aquele que busca por uma instituição diferente, deve passar por dois processos: o de abertura de conta e o de solicitação da consolidação de dívidas.

Tenho que informar de forma individual cada uma das dívidas? 

Geralmente logo após realizar a simulação e assinar o contrato, o novo banco paga individualmente cada dívida.

Isso é possível porque este banco tem acesso aos órgãos de proteção ao crédito e sabem quais são as suas dívidas.

Posso consolidar quais tipos de crédito?

Diversos tipos, sendo que os mais comuns são os empréstimos e as dívidas com cartão de crédito.

Além disso, vale destacar os créditos hipotecários, comerciais e renegociados.

Após fazer a consolidação de dívidas eu consigo solicitar mais crédito?

Sim, você não fica impedido de obter um novo empréstimo, inclusive há bancos que além de fazerem a consolidação, oferecem um dinheiro extra.

Neste caso, é possível conferir o benefício de obter um valor a mais, entretanto é importante entender quais encargos são acrescidos.

Como consolidar todas as dívidas

Em primeiro lugar, você deve analisar a situação da sua dívida atualmente.

Verifique cada empréstimo, fatura ou conta que você tem em aberto.

CET, valor da prestação mensal, quanto tempo ainda resta para pagar e número de parcelas.

Todas as informações acima devem ser consideradas.

Logo após reunir todas estas informações, você é capaz de fazer uma comparação mais assertiva das propostas de consolidação.

Como segundo passo, pesquise uma empresa ou instituição financeira que trabalhe com este tipo de serviço.

Dessa forma, você pode optar pela busca online ou pode visitar agências para entender sobre a alternativa pessoalmente.

Uma dica é que você nunca feche negócio no primeiro banco que entrar em contato porque pode haver outro mais vantajoso.

Depois de encontrar boas empresas e fazer simulações, compare as propostas de consolidação de dívidas, garantindo que os fatores juntos tenham um custo total menor do que a soma das dívidas de forma separada.

Por fim, basta entrar em contato com a empresa novamente e fechar negócio caso concorde com todas as condições.

Leia todos os termos, bem como veja o valor da multa por atraso do contrato.

Esta é outra informação fundamental e que muitas vezes pode ser negligenciada por conta da emoção do momento de contratação.

Escrito por Luciana Sampaio

Entusiasta de novas tecnologias e da escrita, encontrou no Jornal útil a oportunidade de escrever sobre temas do seu interesse que englobam o mercado financeiro.