Endividamento e Inadimplência – Saiba a diferença 

Conforme a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), as famílias brasileiras foram obrigadas a recorrer ao crédito a fim de sustentar o consumo.

Anúncios

A média do ano de 2021 para endividados foi de 70,9% das famílias, sendo que no último mês, uma porcentagem assustadora foi apresentada: 76,3%.

Por outro lado, no último ano o número de inadimplência apresentou queda.

Ainda conforme a pesquisa, o percentual médio de famílias brasileiras com dívidas ou contas em atraso foi 10%, sendo que a porcentagem está abaixo da média anual.

Portanto, resta-nos a seguinte dúvida: como é possível o aumento do endividamento e a queda da inadimplência em nosso país?

Esta e outras questões iremos abordar ao decorrer do conteúdo.

Anúncios

Endividamento e inadimplência – Saiba diferenciar

Em primeiro lugar, entenda que você é uma pessoa endividada caso tenha assumido obrigações financeiras como as parcelas.

Dividir um produto ou serviço para ser pago em meses futuros, sendo que as parcelas ainda irão vencer, tem um nome muito simples: dívida.

E a ideia é a mesma, esteja você pagando as parcelas em dia ou não.

Portanto, caso tenha assumido prestações de lojas, empréstimos, financiamentos e até mesmo cheques pré-datados, você tem dívidas.

Note que o cartão de crédito tem um funcionamento parecido com o de um empréstimo. A grande diferença é que você deve pagar no próximo mês.

Ainda falando sobre endividamento e inadimplência, vale esclarecer como funciona o segundo: 

O endividamento ocorre quando você se compromete com parcelas. À vista disso, a inadimplência se caracteriza quando o consumidor não cumpre com os seus compromissos financeiros e a data de vencimento passa.

Ou seja, a inadimplência não pode ser definida como uma dívida, mas sim com o descumprimento do compromisso financeiro.

Assim, o termo também pode ser aplicado à pessoa jurídica quando uma empresa não efetua o pagamento de determinado produto ou serviço.

Veja que o endividamento e inadimplência não estão relacionados somente à instituição financeiras.

Por exemplo, o cliente que não cumpre os seus compromissos financeiros junto ao condomínio, governo federal, imobiliária, ou até mesmo com pessoas físicas, podem ser vistos como inadimplentes.

No caso das pessoas físicas, nos referimos aos prestadores de serviços autônomos e aos locatários de imóveis.

Por que ocorreu o aumento do endividamento e queda da inadimplência?

Bom, assim como foi abordado ao decorrer do conteúdo, este dois termos se diferenciam, sendo comum a variação entre endividamento e inadimplência.

Izis Ferreira, a economista responsável pela pesquisa citada anteriormente, afirma o seguinte:

Embora os brasileiros tiveram de lidar com condições financeiras difíceis, eles ainda foram capazes de cumprir com os seus compromissos financeiros e evitar a inadimplência. 

Isto é, um cliente pode ter ficado endividado ao solicitar um empréstimo, mas foi capaz de pagar as parcelas em dia e não se tornou inadimplente.

No entanto, nos últimos 3 meses de 2021 o indicador de contas em atraso teve um aumento, mostrando uma alta para 2022.

Izis afirma que os brasileiros terão de seguir enfrentando os desafios financeiros, em especial devido à inflação, juros altos e a dificuldade em ingressar no mercado de trabalho formal.

Dúvidas e dicas importantes

Quanto ao endividamento e inadimplência, será que todo o inadimplente tem o nome sujo?

Apesar de a restrição do CPF ou CNPJ junto aos órgãos de proteção ao crédito ser uma consequência da inadimplência, nem todo inadimplente tem o nome sujo.

Isso ocorre porque as empresas aguardam alguns dias ou até mesmo semanas para informar os birôs acerca da inadimplência.

Ainda assim, o cliente tem a oportunidade de pagar a dívida porque o órgão de proteção ao crédito entra em contato para informar sobre o atraso no pagamento e a possibilidade de negativação do CPF.

O que fazer para acabar com a inadimplência?

O primeiro passo é desenvolver um planejamento para cumprir com os seus compromissos financeiros.

Em um conteúdo tratamos sobre as principais opções para limpar o nome, por isso, vale conferir.

Por fim, tenha o seguinte em mente:

Logo após saber como diferenciar o endividamento e inadimplência, é importante esclarecer que os produtos financeiros como o cartão de crédito ou empréstimo, não podem ser vistos como grandes vilões que causarão a sua inadimplência.

Quando usados com sabedoria e moderação, esses recursos lhe ajudam grandemente, como alcançar o sonho da casa própria por meio de um financiamento.

Sendo assim, siga buscando informações e saiba quando é o momento ideal de obter determinado produto financeiro.

Escrito por Luciana Sampaio

Entusiasta de novas tecnologias e da escrita, encontrou no Jornal útil a oportunidade de escrever sobre temas do seu interesse que englobam o mercado financeiro.